11 de janeiro de 2015

Língua de Vitela à Portuguesa {com Puré de Batata}
















Uma nova receita para os fãs... das nossas tradições gastronómicas. Consta que vinda de outras paragens... aqui terá sido popularizada há mais de um século. Ganhando destaque e muitos admiradores, assim se tornou numa tradição das nossas cozinhas



















No século passado, teve grande protagonismo na mesa dos portuguesas e tornando-se uma iguaria muito desejada em ementas exigentes

Sendo a sua preparação um tanto delicada pode daí constituir impedimento para a sua confeção, mas conhecendo bem as técnicas de a preparar, torna-se mais fácil. E quando se gosta... não custa.







































Já preparo esta especialidade, há umas décadas... e cá em casa são fãs incondicionais!!


Ingredientes para a cozinhar a língua

2  línguas
1 pé de sálvia
1  cenoura 
1/2  cebola 
1/2  alho francês, folhas mais verdes
1 raminho de salsa
2  folhas de louro
1 colher de café de grãos de pimenta preta
2 colheres de sopa de azeite
3 rodelas de limão
sal








































Lave muito bem as zonas da língua que contenham vestígios de sangue e retire alguma pele que se encontre manchada.  



























  • Coloque-as ainda, numa bacia com água fria por 30 a 40 minutos: este é o processo para sangrar uma peça de carne.






























  • Coloque todos os ingredientes numa panela e deite água fria que considere suficiente para cobrir as línguas, tempere com um pouco de sal. Por precaução será melhor deitar  menos água e acrescentar depois, se necessário. 
  • Deixe ferver 10 minutos em lume brando e introduza as línguas no caldo.
  • quando levantar fervura e se houver alguma espuma, retire-a com a escumadeira.




























    • Tape a panela e deixe cozinhar lentamente 45 minutos, retire uma língua para um prato e verifique se é possível retirar a pele com facilidade, se tiver dificuldade deixe cozinhar mais 15 a 20 minutos, retire ainda as rodelas de limão.
    • Ao retirar a pele grossa que reveste a língua, terá menos dificuldade na parte da frente que se soltará facilmente, atrás, poderá ter que cortar essa pele mais espeça.
    • perfure com um espeto de madeira, se ainda estiver demasiado firme, leve a ferver lentamente no caldo mais algum tempo.
    • Como o caldo é muito aromatizado e se a deixar cozinhar quase por completo, pode então fatia-la e colocá-la assim no creme onde vai completar o cozimento.












    Ingredientes do refogado

    2  línguas - 1,5 kg
    1  cebola, média
    1  alho francês, pequeno
    2  tomates frescos, médios
    3  dentes de alho
    1  dl de azeite
    1/2  dl de vinho branco
    Sal, pimenta de moinho 
    1  raminho de Sálvia

    Escolhi esta erva aromática por me agradar o seu sabor ligeiramente apimentado e muito próprio.































    Preparação 

    • Para estufar as duas línguas utilize um recipiente grande para que não fique muita quantidade de carne sobreposta. 
    • Deite o azeite no tacho e aloure os alhos esmagados, junte a cebola, o alho francês, o tomate sem sementes grosseiramente cortados  e envolva, deixe ferver 5 minutos  sem queimar e refresque com o vinho branco.
    • Após mais alguns minutos de fervura adicione uma concha do caldo da cozedura e triture tudo com a varinha mágica. Volta novamente para o lume, deite a sálvia no tacho e mais caldo se necessário, levantando fervura coloque as fatias de carne, retifique os temperos e deite a pimenta de moinho. 
    • Ferve muito lentamente até a carne ficar ao seu gosto e pode acrescentar caldo se for necessário, verificando se não pega ao fundo do tacho.
    • Pode também terminar o cozimento com a língua inteira.
    Acompanhei esta especialidade: com as ervilhas à Inglêsa,  e o tradicional puré de batata, em queneles. 

    NOTA
    • O acompanhamento mais carateristico da Língua Estufada, é o puré de batata e ervilhas
    • A Sálvia é uma planta de aroma ligeiramente ativo e não deve ferver demasiado. Adicione aos poucos.
    • O caldo que é adicionado ao refugado, deve ser quado.






    7 comentários :

    1. Já não como língua à imenso tempo e este prato deixou-me cheia de saudades! Excelente aspeto!!
      Bjs

      ResponderExcluir
    2. oi Rosa levando a receita gosto muito dessa carne bjs Rosinha

      ResponderExcluir
    3. Olá Rosa!!!
      Confesso que nunca experimentei, nem nunca tive a curiosidade, mas o seu prato ficou com uma apresentação tão linda que virou um convite para degustação!
      Beijos e ótima semana pra ti! =)

      ResponderExcluir
    4. Querida Rosa,
      fiquei com água na boca!!! Esse é o meu prato favorito e dessa língua aí... confesso que seria capaz de comer umas 8 fatias... ou mais!!!
      Por motivos de saúde eu não devo comer carne vermelha, mas quando vou aos Açores como sempre língua, num restaurante das Furnas.
      Beijinhos

      ResponderExcluir
    5. Olá Rosa,
      Ótimo post, é uma aula muito rica em informação, gostei muito.
      Beijo, boa semana,
      Vânia

      ResponderExcluir
    6. Querida Rosa: adoro as tuas receitas tradicionais, sempre tão bem explicadas que se tornam fáceis e acessíveis a quem as quiser experimentar. Confesso que nunca provei língua e muito menos cozinhei,mas o teu prato está tão bonito que eu, de certeza, ia adorar.
      Bjn
      Márcia

      ResponderExcluir
    7. Minha querida Rosa,

      A Mãe fazia imensas vezes este prato, um dos preferidos do meu falecido pai e que também eu aprendi a dar o real valor, embora já muito mais tarde. :)
      Para os apreciadores, este prato é pleno, pleno de sabores ricos e lusos que são tão valorizados por nós !
      Amiguinha, desejo-te o melhor neste 2015 ainda recente, desejo que estejas bem (apesar dos pesares) e agradeço o teu sempre carinho comigo, bem como a tua companhia !
      Tudo de bom para ti, para a filhotas e para toda a tua familia, um grande, grande beijinho !

      Isabel
      Blog do Chocolate
      Brisa Maritima

      ResponderExcluir