Sobre

Contam que herdei dotes culinários da minha avó paterna!!

E muito cedo se revelaram... mas numa disciplina de Economia doméstica!!

Era uma das disciplinas do 8º ano, do curso comercial em Lourenço Marques, Moçambique.
Talvez por não gostar do curso que me tinha sido imposto, aquela disciplina foi uma lufada de ar fresco... de sol... sei lá!!
As aulas envolviam-me ... partilhava-mos ideias conhecimentos. Falava-se de culinária de receitas e também de organização doméstica. Aí descobri o que eu queria o que eu gostava. E foi aqui que comecei a escrever o meu caderninho de receitas. Assim aconteceu... houve magia... não sei!! Nunca soube explicar!!

Casei uns anos depois. Agora, na minha cozinha já podia experimentar as receitas, de um livro de culinária, Coisa Boas, meu companheiro de Sabores e tinha-os para todos os gostos. O livro tinha sido a iniciativa de um jornal local e, com a colaboração e participação de muitas Senhoras de Lourenço Marques, surgiu essa colectânea de paladares. Era uma cidade com aromas e cheiros de  especiarias, vindas da Índia e com a arte de cozinhar chegada de Goa, o caril estava sempre presente. Eram muito muito ricas e diversas as influências gastronómicas no país.

Também por essa época, 1970 e 1971, fui mãe de um menino gordinho, de nome Félix como o pai, e uma menina, vivaz de olhos grandes, Filipa. Agora o meu tempo era mais curtinho e uma amiga muito eficiente veio dar uma mãozinha, a batedeira Kenwood CHEF, com o seu enorme copo liquifactor. Não era leve como as actuais. Toda em ferro e com a taça de um material de vidro muito resistente! Aliás, era tudo tão resistente que ainda funciona. Sempre companheira de tantas canseiras... festas e festinhas, baptizados dos meus filhos e do casamento deles também!!

Dois anos depois regressei a Portugal, alguns meses antes da revolução dos cravos, no dia "25 de Abril"... e eu continuei numa procura, qual pedra filosofal. Porque a prática eu só a alcançaria com perfeição e conhecimento. Cozinhava porque gostava, era a minha verdadeira paixão e só respeitava o rigor da receita se fosse de pastelaria e mesmo assim... muitas eram criações minhas. Como me sentia realizada quando, nos fins de semana numa mesa rodeada de família e amigos, partilhávamos sabores. Quando agora olho o meu velhinho livro Coisas Boas, lembro que essa colectânea de receitas, tal qual uma partilha... só não era virtual!!

Estão todos na estante estáticos e muito arrumadinhos mas esquecidos. Os livros, as receitas os apontamentos... são os meus Saberes com Sabores, adquiridos ao longo de algumas décadas... Mas agora será possível dividir com todos. Apesar das minhas limitações  a nível de fotografia e informática não hesitei e criei o meu caderno virtual!! Escrevo o blog sozinha e as fotos publicadas são tiradas com uma máquina simplérrima que tive que aprender a usar.

Fui mãe, agora sou avó... há doze anos e... quer dizer... faço este mês 61 anos. Bom, este blog é agora um pedaço de mim e vocês dão-me ânimo para estar sempre aqui. Comentários e e-mails tornam os meus dias em sol de Verão!!

Um abraço!
Rosa Santos 

Meu e-mail
m.saberescomsabores@gmail.com 

3 comentários :

  1. Bom dia Rosa Santos! :)

    Acabei de lhe enviar um email com as informações que me pediu ontem no ISLA. Confirme se recebeu (o meu email é maglormusic@gmail.com).

    Um abraço,

    Tiago Lopes

    ResponderExcluir
  2. Rosa,
    muito prazer de conhecer seu blog e você - temos histórias e destinos diferentes, mas algo em comum - a paixão desde cedo pela cozinha. Sou brasileira do Rio de Janeiro, tenho a sua idade e moro em Manaus, na Amazônia. Quem sabe nos encontraremos um dia? Abraços, Ana Lucia.

    ResponderExcluir
  3. Rosa, adorei ler este belo texto!
    Vivi 7 anos em Lourenço Marques e tive lá os dois filhos: uma menina em 70 e um rapaz em 73. Dei aulas na Escola Preparatória da Malhangalene e na do Noroeste, perto do aeroporto. Regressei a Coimbra em 76 e em 77 tive outra menina. Moto em Coimbra e também estou aposentada.
    Foi um prazer!
    Beijinhos

    ResponderExcluir