15 de fevereiro de 2020

Iogurte Kefir com Sementes - Banana - Juliana de Limão em Geleia

Um pequeno almoço muito fácil preparar... mas nutritivo e saudável!



Antes de mudar a minha alimentação, os meus pequenos-almoços incluíam quase sempre pão, lacticínios, proteína animal e um café de saco.... Com a mudança alimentar, esta refeição sofreu mudanças muito positivas e hoje começo o dia com muito mais energia e bem-estar do que antigamente.

Para preparar um pequeno-almoço saudável, não é preciso muito para o conseguir, é só um pouco de imaginação e pensar que alimentos temos em casa.

Aqui: escolhi a banana, o iogurte kefir a mistura de sementes e completei como normalmente faço, com um pouco de geleia e juliana de limão.


Ingredientes (para uma pessoa)

200l de iogurte kefir
1 banana
2 colheres de sopa da mistura de sementes trituradas
1 colher de sobremesa de geleia de limão
Juliana de limão, tipo cristalizada
2 colheres de sopa de água morna

Preparação

Coloco as sementes trituradas num recipiente junto  água morna e deixo hidratar 30 a 40 minutos...  acrescento a água morna e deixo repousar 30 a 40 minutos... (antes de ir para o banho!! Acrescento o iogurte envolvo bem a mistura e coloco a banana cortada. Completo com a juliana e a geleia  de limão.


Sempre que prepara este pequeno almoço, fico grata à sobremesa "Peras em Geleia de limão" Normalmente sobra um frasco de 450g de geleia e ainda a juliana do limão, que a mantendo coberta de geleia e no frio, conserva-se vários meses.


Uma mistura  de sementes muito agradável


Esta é a mistura que usei  nesta preparação mas triturada. Contem sementes de sésamo, linhaça, abóbora, papoila e mais de outras origens.


7 de fevereiro de 2020

Empada de Massa Folhada... { saber de aproveitar}





A estas empadas eu chamo... "o saber aproveitar".


Com imaginação e aquelas miudezas que nos vão sobrando no frigorífico, ou até ficando esquecidas por vezes, pouco ou nada precisamos de adquirir.



Cá em casa somos fãs deste petisco e então, procuro ter sempre o básico que é (imprescindível numa despensa). Massa folhada, congelada ou fresca e queijos curados, azeitonas, cogumelos de conserva, natas, pimentos morrones... Os frescos, há sempre.

O mais sacrificado, normalmente é o peito de frango assado no forno. De meia dúzia, só um gosta de peito do frango... logicamente, que a sobra, logo fica rotulado de "empada".

Já vem de longa data, o gosto pelo frango assado no forno. Curiosamente era uma receita que o marido criou. Tipo sopa da pedra. Mas era mesmo tão bom... que raro era o fim de semana que não se fazia. Nessa data (há 45 anos), havia quem gostasse de peito de frango. Um dia destes trago a receita, mas há que considerar, que naquela data, a culinária era muito primária e com qualquer sabor mais invulgar... já era especial.

Presentemente essa receita está no baú das recordações, devido a certos ingredientes que o marido deixou de apreciar. Mas novas vão surgindo e a tradição mantém-se.


Guardo sempre o molho devidamente coado e desengordurado (na nota de rodapé explicarei) e congelo, assim como o frango desfiado mas não em pedaços muito pequenos. Porque ao descongelar e ligar com os restantes ingredientes a carne perderá firmeza.

Também já experimentei com frango estofado e de churrasco. Neste caso, só é necessário adicionar ingredientes que se adaptem ao paladar da carne e ao nosso... Seja qual for a carne para o aproveitamento, faço sempre uma base de cebola ou alho francês ou echalotes com azeite, e termino envolvendo numa porção de bechamel denso. pois a massa folhada não gosta de muita humidade


Ingredientes

2 peitos grandes de frango, assados no forno
1 cebola pequena laminada
2 dentes de alho grandes, esmagados
50ml de azeite
100ml de molho do frango
300g de bechamel
1 tomate
1 lata de cogumelos, inteiros ou laminados
azeitonas a gosto
salsa picada
1 gema, para pincelar
1 embalagem dupla de massa folhada fresca

Preparação

__O fango e o molho devem estar à temperatura ambiente quando o preparar

Envolva a cebola e o alho no azeite e deixe branquear lentamente. Adicione a o frango desfiado e envolva no aparelho da cebola. Estando o preparado quente pode adicionar o molho, com cautela para que não fique muito húmido. Estando bem quente vá deitando o bechamel às colheradas de forma a que todo o preparado fique envolvido de creme. Após estar esta preparação terminada e considerar que existe liquido em demasia, coloque todo o preparado num passador por algum tempo e  assim, o excesso de liquido será retirado. verta para uma travessa e deixe arrefecer completamente.


Coloque a placa de massa folhada na tarteira e distribua o recheio por toda a base. Distribua as azeitonas e o tomate a seu gosto, complete com os cogumelos e a salsa picada.

Coma esta base folhada era quadrada e a tarteira redonda, cortei os quatro triângulos e reservei. Cobri a tarteira com a segunda base de massa folhada e da mesma forma retirei os triângulos. Apertei bem a massa na beira da tarteira, e com os triângulos de massa fiz um pequenos enfeites para aproveitar a massa. Juntei 1 colher de água à gema e pincelei toda a massa.


Nota de rodapé:
Uma das formas de se desengordurar um molho, é deixar que arrefeça bem no frigorífico. Depois, com facilidade retira a gordura que se acumulou no cimo do molho. 

4 de fevereiro de 2020

Panquecas de Aveia Integral Linhaça e Centeio


Um pequeno almoço saudável cheio de minerais, fibras e vitaminas!



Conforme prometi, aqui trago uma das simples receita dos meus pequenos almoços. São ótimas e saudáveis, concordava melhor se a opção tivesse sido minha, mas como são ordens superiores, tenho que obedecer. Eu até adoro tudo isto, sem duvida... mas o tempo que o levo a preparar, e depois fotografar... porque eu gosto de fotografar !!!


Como tenho partilhado muito pouco, aquela panóplia de adereços, que nos são tão importantes, está tudo encafuado em caixas e caixinhas, além que muitas delas, já estão démodé (fora de moda).

Depois... só quando me levanto (o que não é muito cedo) é que descubro que vou preparar. E aí, já perdi... quantos minutos??  Depois é procurar e idealizar o produto final... e assim, já passaram mais de 40 minutos!!

Acabo por comer o pequeno almoço... há hora de almoçar!! :) :)


Ingredientes para 5 a 6 unidades

1 colher de sopa (cheia) de flocos finos de aveia integral
1 colher de sopa (cheia) de farinha de linhaça dourada
1 colher de sopa (cheia) de farinha de centeio
1 ovo médio
2 a 3 colheres de sopa de leite sem lactose.
1 colher de café de fermento em pó

Junto os ingredientes secos numa tigela, bato levemente o ovo com o leite e adiciono à mistura dos secos. Envolvo mexendo todos os ingredientes, não gosto de bater. Deixo descansar alguns minutos enquanto a frigideira anti-aderente aquece. Depois faz-se do tamanho que desejar-mos. Não adiciono açúcar na massa porque, é para mim imprescindível, uma colher de sobremesa de compotas ou geleias que faço cá em casa. 



31 de janeiro de 2020

Bolo de Leite Quente

 Recomendo a experiência! Este Bolo de Leite Quente é de uma textura firme mas também húmido e muito fofo.


Ontem tive saudade de um bolo para o lanche!
Eu gosto de bolo ainda morno... faz mal, eu sei, mas é tão bom!! E então lembrei-me: porque não fazer o bolo de leite quente, aliás, foi uma ótima ideia, porque tinha um pacote de leite sem lactose aberto há já três dias.

Tenho rabiscadas várias receitas sem nome nem destino... mas como nunca as faço como as originais... serão do acaso.

Estou habituada aos bolos muito fofos (chiffon de chocolate...)
Porque... é o Bolo semanal! O Bolo dos netos. Depois... tem os bolos com frutos secos, também com maçãs, e muito fofos e húmidos.


Com este bolo estava curiosa. A ideia de deitar sobre a massa batida e tão fofa, todo aquele leite a ferver, quase me conteve, mas, o resultado só seria possível concluída essa etapa.

Os bolos de leite têm a caraterística a  de ficarem com a cobertura mais escura e por vezes com pequenas manchas mais claras. Como estou ainda, em experiências com o novo forno (cheio de programas) programei para 180ºc, mas para o próximo certamente vou reduzir porque achei pouco  tempo para a cozedura.


Ingredientes
                                                                                                                                    
6 ovos grandes
450 g de açúcar
310 g de farinha de trigo, Nacional especial para bolos com fermento
90 g de manteiga sem lactose
375ml de leite sem lactose
20 g de fermento em pó (2 colheres de sopa, rasas)

Preparação

Bata as claras em castelo e adicione as gemas uma de cada vez, e com a batedeira ligada, vá acrescentando o açúcar aos poucos até terminar, continuando a bater por mais 5 minutos fazendo um leve merengue, e em seguida deite a farinha peneirada com o fermento. Entretanto leve alo lume o leite com a manteiga até praticamente ferver. Mistura com a massa e bata até ficar bem incorporada.

Forma com buraco bem untada e polvilhada com açúcar. Temperatura a 170ºc por 35 a 40 minutos.
Aqueça o forno a 190ºc e diminua quando colocar o bolo.
Desenforme com algum cuidado, devido ao açúcar poder caramelizar e dificultar a operação. 


Como não saiu tão mal como supus... apressei-me a fotografar porque a luz estava a deixar-nos.

Foi um lanche mais tardio mas bem agradável sem duvida... o Bolo de Leite Quente... tinha superado as minhas expectativas. É de uma textura firme e húmida mas que o torna também fofo.
Recomendo a experiência, e como é um bolo relativamente grande, ficando coberto a sua textura fica ótima nos dias seguintes.


23 de dezembro de 2019

Rabanadas de Laranja e um Feliz Natal



Nesta época tão mágica eu desejo paz, alegria e muita saúde para todos vós. Feliz Natal!



Não poderia faltar com um doce de Natal. São as tradicionais Rabanadas, mas... de Laranja. .Aromáticas e frescas... são agora as nossas preferidas!!




Ingredientes para 8 Rabanadas com Laranja

8 fatias de pão, de preferência cacete e com 3 a 4 dias
500ml de sumo de laranja 
100ml de água
4 ovos grandes
Òleo para fritar
Açúcar e canela para polvilhar

Preparação

Deite o sumo de laranja num recipiente que possa molhar bem o pão, e nessa calda, deixa embeber as fatias um pouco ambos os lados. Retire e coloque-as no recipiente dos ovos batidos, deixando que fiquem bastante húmidas no interior. Escorra e reserve. Após ter todas as fatias já bem passadas no ovo, alouram-se em óleo quente (não demasiado). À medida que vá fritando as rabanadas, polvilhe com açúcar e canela. Na mesa, eu gosto de ter junto à travessa das rabanadas uma molheira com sumo de laranja e alguns gomos de laranja, degomados.


Têm também outra opção para escolher RABANADAS... AQUI!!



Desejo para todos, que o ano 2020 seja de paz e prosperidade !!
                                                                 

                   

7 de dezembro de 2019

Arroz de Coentros e Cenoura



Neste  Arroz de Coentros e Cenoura eu prezo os paladares simples e genuínos, que são... a sua verdadeira essência!! E como já a algum tempo não o fazia, mereceu um rasgado elogio da minha neta mais velha.
- Oh avó, é um arroz do outro mundo!!
É uma receita simples, mas que espero vos agrade tanto como a nós e, a todos que aqui em casa o provam.




Quando cozinhamos temos que considerar que surpresas surgem sem darmos conta. Como as cenouras tinham acabado e estava longe de casa, comprei num lugar diferente do habitual. Tinham um ótimo aspeto, de cor e frescura. Mas a surpresa aconteceu... quando juntei o arroz à calda da cenoura. O paladar não podem saber, mas a cor é bem visível. Agora, já sei onde comprar cenouras!!


A frescura da salsa e dos coentros também é visível.
                                                         





Ingredientes -
6 a 8 porções, +/- 40g por pessoa

1 chávena grande de arroz (  utilizo sempre, arroz carolino saludães
4 chávenas de água (a mesma medida do arroz)
1 cebola grande (250g)
3 cenouras (300g)
150ml de azeite   
5 dentes de alho
1 ramo de coentros
1 ramo de salsa
sal

Preparação

O tacho para o arroz tem que ser relativamente grande. Já que, para a quantidade de arroz mencionada, serão 4 a 5 chávenas de água. Adicione os alho picados ao azeite e deixe fritar ligeiramente. Acrescente a cebola bem picada e deixe refogar alguns minutos, até ficar translucida. Refresque com 250ml de água quente e junte a cenoura ralada e um 1/4 do ramo da salsa, amarrada. Cozer lentamente... aqui eu alterei um pouco a receita e faço esta preparação com alguma antecedência. É que fica ótimo, deixar este preparado a cozinhar muito, muito lentamente, 30 a 40 minutos. Retire o raminho amarrado da salsa, e acrescente a água a ferver, de início 4 chávenas, temperar e deite o arroz. Mexer com frequência e o tempo da cozedura oscila entre os 15 a 18 minutos, se necessário acrescente mais água a ferver. Um minuto antes de retirar o arroz do lume, adicione os coentros e a salsa grosseiramente picados, envolver bem e retirar do lume. Servir de imediato.
        

                             

Nota:
Para melhor conferir as porções, deixo esta dica. Os coentros e salsa que utilizo, vêm nas embalagens, caixinhas compridas, que adquiro nas grandes superfícies. Raramente aí os compro mas, de qualquer forma, fica a saber as quantidades.

                                                                 
                                                                 

28 de novembro de 2019

Tarte de Maçã {sem açúcar}


 ...com uma massa deliciosamente excecional ! Tão tão fofa, que se desfaz na boca.
Porque não há nada que chegue a uma massa de tarte feita em casa!!


Cá em casa temos um carinho muito especial por esta tarte de maçã, é muito simples e também uma das minhas preferidas... foi a primeira tarte que fiz.
É uma receitinha com mais de 40 anos e sempre com honras quando chega à mesa, mas... sabe sempre a pouco!

Provei-a em casa de uma amiga e logo quis experimentar. Era ainda uma principiante mas não me saí muito mal e o resultado, foi para mim, um sucesso!


E com a vantagem de não levar açúcar...


Ingredientes

250 g de manteiga gelada, usei sem lactose
250 g de farinha tipo 55
87 g de água, bem gelada
1 colher de sobremesa de fermento em pó
6 maçãs grandes, usei  Royal Gala
1 pitada de sal


Preparação

 Descasque e descaroce as maçãs, corte em quartos e reserve. Esta variedade de maçã mantém-se sem oxidar, que será,  o tempo de preparar a massa.

Coloque a farinha num recipiente. Adicione o sal e a manteiga, cortada em pequenos pedaços. Trabalhe a massa com as pontas dos dedos até obter uma mistura esfarelada. Adicione a água e envolva tudo. Amasse levemente, e só, o suficiente, até obter uma massa moldável, que se despegue das mãos e do recipiente, forme uma bola e envolva num pouco de farinha. Esta massa não deve ser amassada.

Polvilhe bem uma superfície com farinha e estenda a massa até ter o tamanho suficiente para cobrir uma forma de tarte com cerca de 20 cm de diâmetro. Para que esta tarefa se torne mais fácil, estenda a massa entre duas folhas de papel vegetal.
Forre a forma e ajude com as mãos para que fique uma camada uniforme, deixando 1/4 de massa para guarnecer no final. Lamine as maçãs em meias luas e coloque sobre a massa.

Abra o restante 1/4 da massa com o rolo de cozinha, retire porções e faça os rolinhos. Dispor estes sobre a maçã laminada fazendo um xadrez que cubra toda a superfície.

Para que esta massa, depois de cozida seja uma deliciosa massa friável, deve ser utilizada logo após a sua preparação. Não devendo ir ao frio. É certo, que torna o seu manuseamento um pouco mais difícil, mas o resultado... compensa!!

Aquecer o forno a 180º  e ao introduzir a tarte reduzir para 160º, cozer por 40 minutos.
Os fornos recentes têm sistemas um pouco diferentes.  Assim como o meu, o que me leva a redescobrir tempos e temperaturas e programas.

Notas
-Não deve substituir a manteiga por margarina.
-Para as porções indicadas a forma deve ser de 20 cm
-O tempo de cozedura dependerá do forno. 
-Se gostar pode colocar 5 colheres de sopa de açúcar sobre a maçã antes de colocar a restante massa.