26 de maio de 2017

Salsa... na Grécia antiga era tida como símbolo de força


... Salsa... erva aromática... {e outras propriedades}


Este ramalhete de Salsa...





Foi a consequência de ter pedido ao meu marido um raminho... de salsa!!
Que assim mesmo, repetiu o pedido no mercadinho... mas... e que lhe trouxeram aquela enorme porção e da qual lhe teceram os melhores elogios... ficou indeciso, mas como sabe que gasto muita salsa e esta era de proveniência merecida... não se fez rogado e trouxe então esta enorme porção de Salsa.
Quando o retirei da cesta o seu aroma único e intenso perfumou a cozinha. Não pensei duas vezes e comecei a preparar as fotografias. A hora do dia já não era a melhor, (tirei no terraço) mas com sorte poderia resultar. O mais complicado foi encontrar os recipientes que pretendia, dado que ainda tenho caixotes por abrir.

Daqui e dali... lá compus a mesa... do ramalhete.

E começo assim, esta trilogia... com o mais básico na utilização da Salsa. 


Como uso e abuso... de Salsa... decidi que iria fazer três publicações com dicas e receitas sobre a Salsa. Uma das plantas  mais comuns e um aliado insubstituível nas nossas receitas. Na culinária encontra-se classificada com erva aromática, mas as suas propriedades... vão além desse aroma inconfundível, podendo também ser usada de maneira medicinal.

Salsa, é uma planta que tem a sua origem na bacia mediterrânea da Europa, e conhecida principalmente como erva aromática. O seu nome cientifico tem origem na palavra grega (petro selinum) que significa (aipo das pedras) pela aparente semelhança ao aipo. Pelos gregos, sempre lhe forem atribuídas também, propriedades medicinais. 

Quantas vezes, passamos uma vida sem conhecer bem o que usamos no dia a dia. Nestes últimos tempos e em nosso benefício,  somos "bombardeados" com informação, que, alem do mais nos chega a  confundir, dado que, por vezes existem vozes discordantes.

Mas, se seguirmos o curioso dito popular: no meio é que está a virtude... doseamos porções e chegamos lá... Mas agora a sério... Toda a informação que queiramos recolher poderá ser de muita utilidade.

Ainda antes da "era" Google, numa estação televisiva e naqueles programas matinais em que semanalmente a presença de um médico falava sobre várias temas. A Salsa entre outros, foi um dos escolhidos e muito recomendada, para bem da saúde: -Deveria e diariamente, colocar-se na mesa para acompanhar a refeição, salsa e cebola crua, picadas.

Claro está, que não vou aqui enumerar as suas propriedades; para tal, existem os sites da especialidade. Tão somente, lembrarei um pouco do mais básico.

 A Salsa é rica em:

-Vitaminas A, B1, B2, C e D. Isto se consumida crua, já que o cozimento elimina parte dos seus        componentes vitamínicos.

- Contém minerais tais como, cálcio, ferro, fósforo, e enxofre.

- Rica também em antioxidantes que protegem as células do envelhecimento.

- Possui ainda: grandes propriedades estimulantes da digestão. (confirmo pessoalmente)

Uma das formas adequadas de consumir a Salsa é fresca, já que, congelada ou seca pode haver perda das sua propriedades curativas e nutricionais.

A Salsa pode ser consumida crua em saladas, junto com diferentes verduras ou batidos com frutas.
Não esquecendo também que é um dos ingredientes do "ramo de cheiro". 

Na pesquisa que fiz para este resumo encontrei também, contra indicações x interações medicamentosas. Que serão de todo, aconselháveis verificar.

O nosso primeiro tema é muito simples, mas um bom aliado há nossa mesa.




A comodidade de ter esta planta aromática sempre pronta a ser utilizada. Guardada num bom recipiente de conservação (quadrado) pode permanecer por quase uma semana em perfeito estado. No frigorífico, deve reservar-lhe o local mais frio.




Esta tábua é quase uma relíquia. 


933
Com uma faca afiada e a Salsa bem seca, o corte fica perfeito. Não esmaga a planta deixa-a apenas laminada.


938
Após o corte, imerge-se na água e deixa-se repousar uns minutos. Com as mãos transfiro-a para o passador e só depois a lavo em água corrente, evitando assim que algum grão de areia fique retido no passador.




Verte-se então para o passador a mistura da salsa com a água e espreme-se muito, muito bem. De seguida espalha-se sobre outro pano.




....e deixa-se secar.




Assim que estiver seca acondicione em recipiente (quadrado) fechado, e guarde na zona mais fria do frigorífico.




Para salpicar a Salsa sobre os pratos prontos, assim seca e solta obterá o aspeto desejado. Estando húmida, cola aos dedos e cai onde não se quer.


Muito breve a segunda publicação.... Surpresa !!!!

23 de maio de 2017

Semifrio de Morango {para o dia da Mãe}



Esta  simples sobremesa... Semifrio de Morango. Foi a escolhida pelas mães cá de casa !!




Decerto sabem... como é aquelas datas que que não queremos e podemos esquecer, mas, que em dado momento se tornam difíceis de recordar... Este ano, já não fui filha, só mãe... e de dois filhos maravilhosos que são o meu orgulho. Apesar, de um se encontrar muito longe, mas já com família :)

Quem me conhece; sabe que já sou uma avó... e há dezassete anos... estou entradota na idade!!! Mas continuo a gostar muito de viver, mesmo que que a nostalgia por vezes bata à porta, se intrometa, e me torno mais sensível. E aí... tiro uns instantes para algumas reflexões (mas não recuo muito, dá azar!! :). 

Antipatizo com rotinas, (e já o referi várias vezes) regra geral às que posso contornar. Acho que se ganha  em motivação e bom humor... 
No decorrer da nossa vida, sobram... muitas vezes obstáculos, que mediante a sua importância nos obrigam a desgastes emocionais imagináveis, e que, pensaríamos não saber ultrapassar. Já me surgiram... muito difíceis... e pude ultrapassá-los!! Gosto de uma boa luta...

...Vão caindo algumas penas pelo caminho... os voos podem ser mais lentos, mas há sempre metas que se podem alcançar. 

Deste meu jeito de escrita simples... estes foram uns instantes de reflexão...

E assim vos deixo... com esta singela homenagem !!

Com tres letrinhas apenas
Se escreve a palavra mãe
É das palavras pequenas
A maior que o mundo tem



Ingredientes:

2  pacotes de gelatina de morango (aconselho a royal)
2  pacotes de natas (usei parmalat sem lactose)* 
1  lata de leite condensado (usei  nestlé)
6  folhas de gelatina branca
250g de bolacha maria* 
130g de margarina vegetal (usei becel) ou manteiga
Morangos




Preparação:

Pique ou triture a bolacha. Junte a manteiga derretida e amasse a mistura. Coloque no prato de servir um aro para semifrios e forre o fundo com o preparado da bolacha, reserve no frio. Prepare uma gelatina conforme as indicações da embalagem, mas apenas com metade da quantidade de água que é indicada.
Demolhe 4 folhas de gelatina partida em pedaços, numa tigela com 2 colheres de sopa de água fria e junte à gelatina. Deixe arrefecer.
Entretanto bata as natas bem firmes e junte o leite condensado. Misture a gelatina (que deve estar fria mas não solidificada) ao preparado das natas e envolva cuidadosamente.
Coloque este preparado por cima da base da bolacha e leve ao frigorífico para solidificar. É imprescindível que permaneça no frio, 12 horas no mínimo.
Prepare a outra gelatina tal como a primeira, mas com 2 folhas de gelatina e deixe arrefecer. Após ter solidificado faça a decoração com os morangos. 

*


Deite cuidadosamente, a gelatina preparada por cima dos morangos. Leve novamente ao frio para solidificar.


*

Parece desmesuradamente a quantidade de base de bolacha... mas foi a pedido de várias vozes...
Aliás, a receita não especifica a quantidade.










E termino com uma dica que nestes casos... "faz toda a diferença"




*Antes de colocar os morangos deite duas a tres colheres de sopa da gelatina que preparou. Assim que se espalhar coloque de imediato a decoração pretendida antes que a gelatina solidifique (como o creme está frio a gelatina tende a solidificar rapidamente. Pois esse é o objétivo pretendido mas depois de colocar a fruta. Espere alguns minutos até a fruta estar completamente colada, caso contrário, ao colocar a restante gelatina tudo ficará a boiar na gelatina. E como demonstrado na fotografia a gelatina não estava totalmente presa. Mesmo que tenha o maior cuidado ao acrescentar a restante gelatina.

*A minha escolha de natas, para doces frios, sempre foi a Nata fresca, Longa Vida, a textura e sabor são incompatíveis. Mas, como ganhei... intolerância :(  à lactose, recorro à Parmalat que também satisfaz



Deram-me a receita sem os indicações necessárias da fonte. Só tenho a referência dum nome: é uma receita da Nani. Para ela o meu obrigada. É uma receita excelente, mas bem fresquinha. Boa de preparar e pouco doce.

24 de abril de 2017

Bolo de Noz e Chocolate






Mais um Bolo de Noz e Chocolate que me seduziu. Gostei dos ingredientes e a maneira prática da confeção. E para quem possuir a Yammi, será ótimo, é que aqui, só tinha instruções mesmo... para a Yammi. 
E não desiludiu... é um bolo excelente de sabores e textura.
Para quem gostar de nozes e de bolos húmidos, é ótimo.




Os frutos secos trazem muitos benefícios para a nossa saúde. Cada um em seu patamar e com as suas caraterísticas.
A Noz, é um alimento nutritivo e de alto valor calórico. E para além de ser um dos frutos secos mais saborosos, é também, um dos mais ricos em Óleo, tão essenciais há a nossa saúde.





Também a pastelaria e outras preparações... fazem jus a estes créditos. 
Por opção, as Nozes estariam mais presentes no meu caderno culinário... sou uma apaixonada por este fruto e não me separo dele. Diariamente... no meu pequeno almoço de aveia integral, são sempre incluídas duas nozes grosseiramente cortadas.

Ingredientes:

175g de farinha com fermento (usei branca de neve)
150g de açúcar
1 colher de chá de fermento em pó
1/2 colher de chá de sal
20g de chocolate em pó
125g de manteiga
3 ovos
175ml de leite
200g de nozes moídas, mas grosseiramente

Preparação para receita tradicional:

Forno pre-aquecido a 180ºC. Forma untada com margarina.

Num recipiente bata muito bem a manteiga com o açúcar até ficar em creme. Adicione os ovos um a um e batendo sempre. Junte a farinha, o fermento, o chocolate em pó e o sal e bata bem, por alguns minutos (3 a 5). Por fim, junte o leite e as nozes, misture e bata mais 1 minuto.
Verta a mistura para a forma previamente untada e leva ao forno cerca de 35 minutos, verifique a cozedura, com palito,  não convém que seque, para não alterar a textura e sabor.
Usei esta forma pelo seu significado... mas numa forma de chaminé não se corre o risco de no centro... baixar um pouco.


Nota: Como sabem, os meus ingredientes são sempre referidos em gramas, mesmo que na origem mencionem em chávenas, eu faço a minha conversão aqui. Neste caso e com a adição do chocolate, considerei haver excesso de doce... e reduzi a quantidade. Como também diminui um pouco na farinha, achei por bem retirar, 25ml de leite. E os cálculos resultaram muito bem.
Experimentem... vão adorar !!







10 de abril de 2017

Bolo Delícia de Coco...


      {sem lactose}




Com o decorrer dos anos vamos modificando nossos hábitos. Perdem-se uns... ganham-se outros... e há ainda... os adquiridos!!! 
A estes classifico de "gulodice" e sinónimo: da nossa antiguidade... - é verdade: eu não era gulosa nem o marido, e agora, sentimos-nos carentes sem bolo para a sobremesa. O que aconteceu hoje ao almoço. 
Esta foi uma das receitas que me despertou a atenção assim que li, e é claro que guardei para experimentar. Melhor escolha para um bolo deste género, seria difícil, e como diz o titulo... é uma Delícia... e veio desta cozinha... que muito admiro. 
Foi uma publicação completamente improvisada...  na hora do lanche !!! 






Esta fatia ainda morna foi saboreada ao lanche. Todas as caraterísticas enumeradas (humidade maciez e aroma suave a coco e limão) encontravam-se  também aqui... nesta segunda fatia !!! 






Ingredientes:

4 ovos médios (classe M)
250 g de farinha de trigo
1 colher de chá fermento para bolos
200 g de açúcar amarelo
Raspa fina da casca de 1/2 limão
50 g de coco ralado
50 g de queijo ralado (não usei,só tinha queijo creme sem lactose )
200 ml de leite de coco
200 ml de leite (usei sem lactose)
50 g de margarina amolecida
Coco ralado q.b. para polvilhar (opcional)
1 pouco de geleia para aplicar na superfície (usei geleia da compota de cereja)
Margarina e farinha q.b. para untar a forma

Preparação

Unte uma forma de chaminé com margarina e polvilhe com farinha. Reserve.
Ligue o forno nos 190ºC.
Misture dentro dum recipiente o açúcar, coco, o queijo, a raspa do limão e a farinha peneirada com o fermento. Abra uma cavidade no centro.
À parte bata os ovos com o leite, o leite de coco e a margarina. Verta para dentro da mistura dos ingredientes secos. Bata até obter um preparado homogéneo. Transfira para a forma e leve ao forno a cozer cerca de 35 minutos, dependendo dos fornos. Vá vigiando para que não fique com o miolo seco. Faça o teste do palito.
Retire do forno, desenforme e ainda quente, pincele ligeiramente a superfície do bolo com a geleia, (amornei-a). Finalize polvilhando com coco ralado. Deixe arrefecer e fatie depois de frio. ( quando cortei ainda estava morno...).
Como não polvilhei com coco e após pincelar com a geleia também quente, decorei com as cerejas da compota.





Obrigada Dulce, pela deliciosa partilha!




21 de março de 2017

Massa Folhada... e uma Tarte de Frango e Míscaros




Contasse...

Que a Massa Folhada... terá tido a sua origem numa demonstração de afeto !!

Glaude Gellée, conhecido também como o famoso pintor Lorrain (século XVII), quis alegrar seu pai que estava doente: pegou num pedaço grande de pão e barrou o centro com uma quantidade generosa de manteiga, ignorando assim as recomendações dos seus chefes que afirmavam que a manteiga escorreria da massa, durante o cozimento.
Grande foi a surpresa  de todos, quando ele retirou do forno uma enorme bola de massa, toda folhada, tão saborosa que seu pai pediu mais. 

Com o decorrer dos anos o aperfeiçoamento da Massa Folhada foi constante.

Presentemente podemos saborear inúmeros doces e salgados feitos com esta massa. Desde a sua versatilidade à forma prática de se manusear, proporciona variadíssimas elaborações. É só ser criativo, e estar abastecido da massa congelada... como eu faço.
Ainda não me predispus a prepará-la, e não é pelo trabalho, porque tem outras massas tão trabalhosas ou mais (assim como a massa tenra), e eu adoro trabalha-las. Talvez quando me decidir a faze-lo, não mais queira usar, a Massa Folhada congelada.




Com as ofertas que surgem deste artigo, assim como  a Massa Folhada Fresca, as variantes são mais que muitas e simplificam-do as elaborações, permitem a criatividade. Em receitas de raiz ou  aproveitamentos.


Ingredientes

2 embalagem de Massa Folhada fresca, circular
100g de alho francês (só a parte branca) 
150g de peito de frango desfiado (cozido ou assado)
200g de miscaros
50g de manteiga 
50ml de azeite
1 chavena mal cheia de bechamel
3 dentes de alho, grandes e picados
pimenta preta de moinho
sal
1 colher de café rasa de tomilho (opcional)    
1 ovo, para pincelar  

Preparação

- Pre-aquecer o forno a 200ºC
- Laminar o alho francês em argolas com 2cm de largura.
- Desfiar o frango.
- "desfiar com as mãos" os míscaros em pedaços não muito pequenos.
- Na sertã deite a manteiga, o azeite o alho e deixe fritar uns segundos, branqueie o alho francês e adicione os miscaros envolvendo bem nas gorduras. Junte o frango e tempere com a pimenta e o tomilho e envolva, prove de sal e acrescente se necessário. Fervilhar em lume médio alguns minutos e deite o bechamel. Se houver muito liquido na sertã, coe a mistura. Assim a massa folhada, ficará mais seca e crocante. 
- Esta preparação não requer muita cozedura, pois iria prejudicar as texturas e sabores dos tres principais ingredientes, Míscaro, frango e alho francês
- Coloque em recipiente para arrefecer. 
- Manter a massa folhada no frio até usar.
- Forre a tarteira com a massa, mas deixando o papel vegetal. Encha com a preparação arrefecida, e tape com a a 2ª base de massa, mas tendo o cuidado, de deixar espaço nas beiras e para que possa juntar bem a massa, da base e da tampa. 
Com o cabo duma colher de pau faça um orifício para que o vapor do recheio possa sair sem dificuldade.
Pincele com a gema de ovo. Se estiver a preparar esta tarte no inverno pode levar de imediato ao forno. Se for no verão, aconselho que a arrefeça por 30 minutos.  
Leve ao forno por 20 minutos, após este tempo pode seguir as instruções das notas. Há ainda a considerar a temperatura de cada forno.




Notas:
Para que a Massa Folhada se possa trabalhar bem, deve prepara-la em temperatura moderada. Refresque a bancada se for necessário. O recheio deve estar frio quando o for usar. E deve também colocar a (ou) as peças no frio antes de irem para o forno. A temperatura do forno varia consoante o tamanho da peça. Após o folhado ter atingido o aspeto de cozido (em cor e altura) reduza a temperatura para 150ºC por 15 minutos, deixando que o interior coza e a massa ganhe consistência. 




Pode ainda verificar outras massa, aqui
Conselhos e duvidas... é só perguntar !!




14 de março de 2017

Bolo de Iogurte {sem Lactose}





Cá em casa gostamos muito deste bolo. Faço-o com alguma frequência, mas após constatar a minha intolerância à lactose, agora só utilizo iogurte sem lactose.   
E hoje apeteceu-me, Bolo de Iogurte... se bem pensei logo pus mãos à obra, e como ainda tinha em casa iogurte sem lactose, em três tempos o bolo saía do forno.
E assim, fui ao blog buscar a receita...  que já estava publicado à três anos, mas com iogurte normal. 
Não deixem de ver a outra receita, está mais elaborada e mais tentadora.






É fácil de preparar, tem ótimo paladar e não é nada seco, e ainda a vantagem de poder beneficiar-se de vários aromas. Guardado em caixa própria para bolos, conserva-se muito bem e por vários dias.

Ingredientes

- 1 Iogurte sem lactose
- 240 g de açúcar
- 250 de farinha Espiga
- 100 g de óleo
- 5 ovos
- 10 g de fermento em pó (2 colheres de chá) 
- Uma pitada de baunilha
- 1 colher de chá de raspa de limão

Preparação

- Pré-aqueça o forno a 160ºC 
- Bata o açúcar com o iogurte, e, sem parar de bater adicione as gemas uma de cada vez, depois o óleo e por fim a baunilha e a farinha peneirada com o fermento, bata toda a mistura 5 minutos. 
- Bata as claras com o açúcar, em castelo muito firme e envolva na massa.
- Forma muito bem untada e polvilhada de farinha. Tempo de cozedura entre 30 a 40 minutos, consoante o forno.                                                                                                                                                                         
                                                                                                                               
                                                                                                                                                                             


Continuação de boa semana !!

20 de fevereiro de 2017

Bolo Especial... de Maçãs e Nozes





Bolos assim, com maçã e nozes, são os meus preferidos. Este bolo, tive o privilégio de o provar em casa de uma amiga que conhecendo os meus gostos e tendo como aliado, as especiais maçãs do quintal, "com bicho",  preparou este bolo tão especial.
Claro que o "bicho" não entra na lista de ingredientes, aliás, ele quase nunca está na maçã. Só resta mesmo, o buraco.
Maçã como "bicho" não é variedade... é sinónimo de: qualidade, aroma, sabor e... maçã "biológica"!! 
E por maçã "biológica" entenda-se... "maçã de agricultura biológica !! 
É que a maçã biológica cheira e sabe... a maçã, e não a eventuais produtos que sejam aplicados.
Quem já provou uma destas maçãs acabadinhas de colher da árvore... não vai esquecer.




E foi assim que trouxe estas maçãs pequenas e bichadas para casa e fiz o bolo que tanto gostara. A cozinha ficou perfumada, o bolo uma delícia, mas as fotos... ficaram péssimas. 
Mas como o sabor também conta...
Vamos lá à receita !!

Ingredientes

Para as maçãs
- 4 maçãs grandes, ou, 6 pequenas
- 100g de açúcar
- 1 colher de chá (ou sopa) de canela

Para a massa do bolo
- 4 ovos
- 380 g de açúcar
- 280 g de farinha
- 100 g de nozes, picadas a gosto
- 200 ml de óleo
- 12 g de fermento em pó, ou, 1 colher de sopa
- 1 colher de chá de sal
- 50 ml de sumo de laranja

Preparação

Aqueça o forno a 180ºC. Forma untada e polvilhada com farinha.
- Descasque as maçãs e corte em pedaços de 3cm. Misture o açúcar, a canela e reserve.
Numa tigela grande misture a farinha, o fermento e o sal. Em outra tigela, bata o óleo com o açúcar e o sumo de laranja e os ovos
- Adicione esta mistura liquida à mistura da farinha e envolva suavemente para que todos os ingredientes fiquem bem incorporados.
- Deite metade da massa na forma preparada. Espalhe metade das maçãs sobre a massa. Deite a massa restante sobre maçãs, e finalize com as restantes maçãs e nozes.
- Leve ao forno por 45 minutos, no mínimo. Verifique com o palito se está cozido.
Se considerar que a temperatura do seu forno não não é muito forte, poderá levar mais tempo.

- Deixe arrefecer o bolo completamente antes de o cortar.





Não deixem de experimentar... é muito fácil e também uma delícia !!!