10 de janeiro de 2014

Massa de pimentão e Saberes...de Sal...



Saberes... de sal... com Massa de Pimentão




Platão escrevia a certa altura que o sal é uma substancia cara aos deuses, e não andaria muito longe da realidade. Desde a antiguidade que o sal é utilizado pelos homens e é considerado um bem muitíssimo precioso. 

Consideravam eles que era uma dádiva dos Deuses e associaram-na tanto à religião, quanto à bruxaria.

Para além disso, o seu valor monetário e económico era comparável ao do ouro, da sede e 
das especiarias.

Os registos do uso do sal remontam à 5 mil anos. Ele já era usado na Babilónia, no Egipto, na China e em civilizações pré-colombianas. Nas civilizações mais antigas, contudo, apenas as populações costeiras tinham acesso a ele.

Escasso e precioso, o sal era vendido a peso de ouro. Em diversas ocasiões, foi usado como dinheiro. Entre os exemplos históricos mais conhecidos figura o costume romano de pagar em sal parte da remuneração dos soldados, o que deu origem à palavra salário. Ainda hoje um dos principais acessos de Roma se chama "Via Salária" pois era por esse caminho que chegavam as caravanas trazendo sal para a capital do império.

Nossos antepassados já sabiam da importância de conservar os alimentos para que não estragassem. Na época da Pré-História, quando os homens voltavam da caça, deixavam a carne que sobrava perto do fogo para receber calor e fumaça até ficar bem seca. Foi assim que surgiu um dos primeiros métodos de conservação de alimentos, a defumação. Defumar, secar ao sol e salgar retiram a água dos alimentos e são os métodos mais antigos de conservação desenvolvidos pelo ser humano.

O sal desidrata os alimentos, retirando ou diminuindo a quantidade de água. Neste mesmo processo, acontece a destruição parcial ou total dos microrganismos que alteram a qualidade dos alimentos. Desta forma, aumentamos a durabilidade destes alimentos porque foi diminuída da ou eliminada a reprodução microbiana que estraga o alimento

Hoje trago uma conserva preparada pelos métodos primários e... que não se iguala em paladar a qualquer outra forma de a preparar ! 

 Como preparar... Massa de pimentão !
  1. Escolhe-se os pimentos grandes e compridos e com a casca o mais lisa possível.
  2. Lavar e secar muito bem os pimentos, abrir e retirar bem as sementes e as películas brancos que tem no interior. 
  3. Como as extremidades do pimento são côncavas, cortar e reservar.  

Coloca-se sobre a mesa os ingredientes e a rede sobre o recipiente.
  1. O pimento cortado e o sal.
  2. Um passador de rede larga de plástico para colocar dentro de um recipiente que vai reter o liquido em que o sal se vai tornar.





Usei:
1 kg  de pimentos
1/2 kg de sal, +/-

As camadas de pimento podem ser mais: Eu utilizo recipientes maiores para poder fazer quantidades generosas.



1ª  Camada, os pedaços côncavos reservados são colocados na rede e cola-se o sal.























2ª   Camada, coloca-se os pedaços do pimento bem esticados e acamam-se sobre 1ª camada  espalhando o sal de forma a que toda a base do pimento fique tapada com sal.




3ª  Camada, repete-se como na 2ª camada; e como neste caso será a última, a camada de sal é reforçada.

E vai para o frigorífico... Devia ficar destapado, mas pode colocar uma tampa desde que não tape na totalidade e deixe arejar. Se o passador ficar muito justo à tigela que vai recolher o liquido e muito tapado, vai originar que o bolor se possa desenvolver.
Quando houver liquido na tigela retire e assim dessa forma o frigorífico não vai reter odores. 

O tempo de permanência no frio é um pouco relativo, depende da temperatura em que está o frigorífico e a maturação do fruto. Nunca inferior a três semanas e o ideal são quatro a cinco semanas. 
  




















Retira-se a tigela  do frio e sacode-se o excesso de sal. Corta-se cada tira em três pedaços e no robot de cozinha tritura-se ao nosso gosto, dependendo também de como a vai utilizar. 




Para guardar esta conserva utiliza-se a mesma técnica de esterilizar os frascos como aqui

Colocar a conserva nos frascos e comprimir para evitar espaços vazios e cobrir com uma camada de azeite de 1 centímetro. Guardar no frio





Vale muito em paladar e é tão pouco... o esforço que despendemos !

Podem fazer-se maravilhas com este tempero. Pode ser utilizado em quase tudo que confeccionamos, sobejamente conhecida é a carne de porco à Alentejana que é temperada com a massa de pimentão. Conserva característica do Alentejo, mas actualmente generalizada por todo o país. 
  
Brevemente trarei novidades !!





Novos tipos de conservação foram surgindo. Além da desidratação e da defumação, anteriormente mencionadas, existiam povos que cozinhavam suas caças e as deixavam imersas em gordura.
Esse método consiste em uma barreira física. O alimento fica isolado do ar e da água impedindo, assim, a acção de micro-organismos.

Ao longo dos séculos recorreu-se a todas as formas para a conservação dos alimentos e as várias formas dessa utilização mediante as zonas climáticas.
                                                        

                                                                                                                                         Continua...








18 comentários :

  1. adorei o teu passo a passo mt bem expelicado adoro massa de pimento a tua ela esta 5* parabens bjs bfs e um ano cheio de boas coisas

    ResponderExcluir
  2. Olá Rosa.
    Ficou linda a apresentação do prato.Posso imaginar o sabor maravilhoso.
    Bjs e abençoado final de semana.

    ResponderExcluir
  3. Olá Rosa,
    gostei muito de ler a explicação sobre o sal e já roubei a receita desta massa de pimentão :)
    é simples e o sabor que dá, quando usada, deve ser fantástico
    Bjns
    Isabel

    ResponderExcluir
  4. Bom dia Rosa,
    Adorei o post, muito interessante a história do sal e a massa de pimentão vermelho, conhecia-a da carne alentejana mas não fazia ideia o preparo. Lindas fotos.
    Boa semana, beijo,
    Vânia

    ResponderExcluir
  5. Querida Rosa: aqui em casa usamos muito a massa de pimenta, feita pela minha mãe, num moinho artesanal ( daqueles bem antigos de dar à manivela!!). Esta técnica, muito bem explicada, também deve ficar ótima. Vou levar a receita para experimentar.
    Hoje, domingo, vou fazer o teu frango na púcara. Mal posso esperar para o saborear.
    Bjs e obrigada pelas excelentes partilhas.
    Márcia

    ResponderExcluir
  6. Minha querida Rosa,

    Adoro ler as tuas publicações, trazem sempre um acréscimo ao meu Saber e saio sempre muito mais rica !
    Uso imenso este tempero, gosto de o preparar para ter sempre à mão nos meus cozinhados, embora a faça de forma diferente de ti (publiquei no Brisa há uns tempos) e esta tua massa de pimentão ficou com uma cor espectacular ! :)

    Beijinhos grandes *

    ResponderExcluir
  7. Um post magnífico Rosa e eu que adoro massa de pimentão, não conhecia este método e acho-o fabuloso.
    Beijinhos grandes e obrigada pela partilha.
    Lia.

    ResponderExcluir
  8. minha querid amaiga eu lendo esta sua publicação fiquei mais paixonada por vc ..que carinho e que receita maravilhosa amei querida bjokas doces desculpe ausencia bjus

    ResponderExcluir
  9. Rosa minha querida,
    seus textos são maravilhosos, e suas receitas e fotos perfeitas!
    Adorei essa massa de pimentão novidade p/ mim!

    Bjs, feliz semana junto a sua família!

    ResponderExcluir
  10. É um dos temperos que o homem cá d casa mais gosta! Mas nunca me tinha sequer lembrado de o fzer de raiz. Adorei a ideia ;)

    ResponderExcluir
  11. Olá Rosa!
    Que bela receita e qtos ensinamentos! Vivendo e Aprendendo! rs
    Bjs querida e feliz 2014! ♥
    www.viveraprendendo.com

    ResponderExcluir
  12. Hola Rosa! Acabo de descubrir tu blog y me encanta todo lo que estoy viendo, por ello y con tu permiso me quedo por aquí para no perderme nada. Gracias y besos

    ResponderExcluir
  13. Querida amiga Rosa, estou de volta de férias e visitando aos blogs amigos, Finalmente aqui cheguei, e que delicia de massa de pimentão. Aqui em casa gostamos muito de pimentão e adorei sua receita, super fácil e muito informativa. Ficou linda essa massa, e venho ver a continuação desse belo post. Amiga querida, aproveito a oportunidade para deixar meus votos de um Feliz 2014 à você e sua família, com muita paz, saúde, e muitas alegrias.Beijinhos

    ResponderExcluir
  14. Amiga: sou eu de novo para responder à pergunta que fizeste no meu blog sobre os discos de massa. Respondo aqui,porque é mais provável que vejas a resposta deste modo. Compro a massa "Buitoni" , na parte dos congelados. Por aqui está nas grandes superfícies ao lado das massas folhadas pré-feitas. Espero ter ajudado.
    Bjn
    Márcia

    ResponderExcluir
  15. Querida Rosa,
    A minha Mãe também faz assim. Fica muito bom e dá um gostinho delicioso aos pratos.
    Um beijo e obrigada pela excelente explicação!

    ResponderExcluir
  16. Querida Rosa,
    ficou fantástica :) Eu nunca fiz, a minha mãe é que costuma fazer, mas nunca estive atenta!
    Aqui ficou uma explicação detalhada e óptima minha querida.
    Um grande beijinho

    ResponderExcluir
  17. Olá,
    Vou experimentar a sua receita, mas fiquei com uma duvida, o que se faz à água que vai escorrendo? Deita-se fora, ou aproveita-se?
    Obrigado

    ResponderExcluir
  18. Olá Pastor,
    Deve experimentar sim. É um ótimo tempero. O liquido que vai escorrendo do pimento é rejeitado; e quando triturar é só mesmo o pimento e exatamente como se apresenta.
    Obrigada pela visita :) volte sempre.
    Um abraço

    ResponderExcluir